Dois do Adeus

Te adoro
Te respiro e em tudo te adoro.
Te suspiro
Te procuro em cada vão de pensamento.
Te comento
Te discurso em cada curso deste vento.
Te quero
Te desejo e ao não ter me desespero.
Te espero.
Te espero.
Tu existes?
Te espero.
Te choro.
Te adoro mas no fundo não te existo.
Te desisto.

Teodora
Te pergunto quanta mágoa que te mora.
Te explico
Te existo mas teu mundo não é só isto.
Te existo
Te existo e ao teu lado permaneço.
Te conheço
Tanta mágoa por achar que está sozinha.
Tão sozinha.
Te enxerga e observa a realidade.
Tal verdade
Te aceita como a principal da história.
Tua história.
Te coloca como centro desta vida.
Tua vida.
Tantas vidas que rodeiam tua vida.
Te desprenda
Te adorar não quer dizer que te dependa.
Te adoro.
Te carrego para sempre aqui comigo.
Te desdigo
Tu me existe e te rodeio em tua vida.
Toda a vida.

Marina Nastari de Almeida

Esse post foi publicado em Experimentos.. Bookmark o link permanente.

2 respostas para Dois do Adeus

  1. Lobo disse:

    incrivel como você consegue fazer isso e ainda fica bom o texto. Gostei , mas nunca sei se entendo mesmo sabe? hehe

  2. Dani disse:

    Jogo de palavras incrível. Teodora, Teadoro.

    Me soa um tanto revolto.
    Acho que é por causa das repetições.

    beijos pra mázinha e seu talento!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s